Páginas

sexta-feira, 8 de junho de 2012

O último poema - Parte 7


Ignorance is your new best friend (paramore)

   - Jus... eu - A interrompi, com um beijo, ou quase um beijo, pois foi interrompido. 
   -  Jus, eu preciso ir. - Ela ri, com minha cara de tristeza.
 
   -  Ok... - Suspirei. - Quer que te leve?
 
   - Não precisa Justin, eu vou indo. - Ela saiu logo pela porta, meio que correndo, nem deixou eu me despedi. 

O resto da tarde foi um tédio, eu vi Os vingadores pela decima terceira vez e estava quase para pegar no sono quando meu celular toca. Atendi sem ao menos olhar no visor. 


   - Alô? - Disse.
 
   - Justin! Aqui é a Anna Cecilia, esta ocupado?   - Anna Cecilia? - Perguntei, mais não para ela, e sim para mim. Estava tentando me lembrar dela, até que lembrei da professora de Musica que dá aulas na Academia de Artes.
 
   - Sim. - Ela responde.
 
   - Ahn, eu não estou ocupado não... - Disse. - E se for sobre a greve, eu não quero participar...   - Não, não é sobre isso é só que... Ah, sei lá, pensei que se você não tiver fazendo nada, podíamos sair hoje... Pra sei lá,  jantar.
 
   - Tudo bem... - Estranhei. Não é o homem que tem que convidar a mulher?
 
   - Então vou te buscar na tua casa, daqui a 30 minutos, estará pronto? - Ela perguntou.
 
   - Ahn.. Sim. - Disse confuso. Não seria eu que deveria ir busca-la?
 
   - Até  ai então.

Desligou.

Cara, que mulher estranha... Mais não custa nada sair com ela... Não tenho nada pra fazer mesmo.

Enquanto isso, com Savannah. Savannah POV.
   - Querida! - Disse minha mãe, vindo me abraçar, ela havia acabado de chegar.
 
   - Oi princesa. - Disse meu pai, me abraçando também. Abraço em família... Coisa mais tensa.
 
   -  Oi pai, oi mãe. - Arrumei minha roupa. Sorri. - Deixe-me ajudar com as malas.
 
   - Tudo bem querida. - Meu pai me deu algumas malas.

Pegamos um taxi, e aquelas conversas paralelas, meu pai fala baixo mais minha mãe fala gritando e eu falo no meio termo, ninguém conversa uma coisa só. Minha mãe puxava assunto sobre compras comigo, e meu pai... Bem, ele falava sobre a nova casa que compraria, e até o endereço ele já tinha. Só que ele não ficaria por muito tempo, só uma semana, pois ele iria voar para L.A pois a empresa dele é lá, e a casa sem o chefe não é uma casa.
   - Ei, querida, estou com fome. - Disse minha mãe.
 
   - Eu também. - Eu disse. - Querem pedir uma pizza?
 
   - Não... Pizza engorda. - Disse minha mãe.
 
   - Ah, qual é Donna, você esta mais magra que meu dedo minguinho, uma fatia de pizza não irá fazer mal. - Assenti concordando com meu pai.
 
   - Vamos a um restaurante, queridos, é melhor. - Minha mãe levantou, pegando a bolsa, eu peguei meu celular e o fone e fui ao banheiro enquanto meu pai pegava a carteira.

Pra que o fone, se eu vou a um jantar com minha família? Então, Justamente por isso. Eu vou em um jantar com a Senhora e o Senhor Cattelíx. Que é igual a loucura. Então, preciso de musica. Coloquei o fone por dentro da roupa e o escondi com meus cabelos sobre as orelhas. Dei uma ultima olhada no espelho e pude perceber. Estou mais viva do que nunca. Meus olhos estão mais vivos, meus cabelos menos quebrados, -graças a deus- e meus lábios estão rosados, como se tivesse passado batom. - Sorri. Nunca me senti não linda.
   - Vamos querida, estou vendo uma luz azul... - Disse minha mãe. - É a fome. 

Eu sorri, indo para o carro. Saímos do hotel para um restaurante que minha mãe escolheu e sinceramente? Eu preferia um Mc Lanche Feliz com algum brinde.

Enquanto isso com o Justin. Justin POV.

 Anna Cecilia veio até minha casa. Peguei minha carteira e coloquei no bolso, sai de casa indo até o carro dela, entrei e ela sorria.
   - Oi... - Ela sorri.
 
   - Oi. - Sorri. - Você vai pelo menos me deixar pagar o jantar? - Perguntei divertido.
 
   - Ahn... Talvez. - Ela sorri. - Vamos ao Louige's Drummont? - Ela perguntou.
 
   - É, pode ser.

Liguei o rádio por saber que não teria muito assunto com ela, tocava a  musica Walk This Way, do Aerosmith. Eu curto essa musica desde moleque. Balançava a cabeça no ritmo da musica. Anna Cecilia permanecia séria. Acho que por esta dirigindo. Depois de mais duas musicas, chegamos no Louige's, tinha até uma mesa reservada lá. Isso estava muito estranho mais eu já estou aqui, não estou? E eu estou morrendo de fome.

Terceira pessoa Narrando: E no mesmo Lugar - Louige's Drummont -, Savannah estava com sua família, por escolha da sua mãe. Eles entraram, sentaram em uma mesa na diagonal, a mais ou menos 3 mesas distante de Justin e da Professora de musica esquisitinha que tem uma queda por ele. Savannah estava com a musica tão alta em seus fones de ouvido que mal ouvia seus pais falarem, por isso só assentia com a cabeça e sorria, e Justin em uma mesa perto dalí com Anna Cecilia, estava puxando assunto de onde podia, tentando ignorar o olhar esquisito que ela lançava para ele. Ambos no mesmo lugar, tão perto e tão distante. Era assim que o amor deles sempre se encontrava.

Na mesa de Justin e Anna Cecilia. 
   - Justin, eu estou muito feliz que tenha aceitado meu convite. - Disse Anna, Justin apenas sorri.
 
   - Aqui parece um lugar legal né? A comida é boa. - Ele comia qualquer coisa com camarões.
 
   - É... É ótima. - Ela sorri, e se aproxima dele, quase deitando em cima da mesa. - à Justin... Você não percebe?... - Ela chegou bem perto dele e passou a mão no rosto dele. - Faz tempos que venho te dado dicas... Mais vejo que você é um pouco lento para o amor... - Ela sorri, segura na nuca de Justin e o beija.

Justin continuava alí, com o garfo e a faca na mão, a professora de Musica estava o beijando praticamente só. Ele não tinha nem reação para empurra-la.

Enquanto isso na mesa de Savannah e sua Família.
  Seus pais falavam, ela só fingia ouvi e perguntava-se, se alguém iria tirá-la dalí. Suspirou fundo, abaixando o volume do celular dela, para que desse para ouvir os pais.   - (...) É ele alí, filha? - Perguntou, Donna, mãe de Savannah.   - Ele quem mãe? - Perguntou ela, desanimada.
 
 -  Justin, querida... - Justin? Pensou Savannah, e mais que de pressa ela virou e viu a sena. Uma mulher qualquer estava o beijando e ela não tinha duvidas de que aquele era Justin. Ela conhecia ele mesmo que de longe.
 
   - Eu vou lá. - Ela sorri, mais por dentro desabava.
 
   - Ahn... Filha... Ele tá namorando... Acho que não é uma boa ideia. - Disse Jonson, o Pai de Savannah.
 
   - Mais eu quero ir lá... Dá "Oi" para eles. - Ela sorri outra vez. - Vou lá. 

Ela puxou o Fone de ouvido e deixou o celular na mesa o deixando na mesma. Tirou o chiclete que estava em sua boca, deixando em um guardanapo, e andou até a mesa em que Justin estava, não muito longe da Dela. 



   - Oi Professor Justin! - Ela disse fingindo animação. Anna Cecilia parou o beijo ao ouvi Savannah. - Oi professora Anna Cecilia!? - Ela procurou parecer surpresa. - Nossa! Você já não esta velhinha demais para encontros com rapazes novos como o Professor Justin? Afinal, ele nem saiu das fraudas direito, ainda tem as manias de não honrar com as promessas. - Disse ela seca, quase tocando fogo nas palavras.
   -  Ahn... Savannah... - Justin limpou a boca que estava com vestigios de batom vermelho fogo da professora.

   - Ah Savannah, estamos em um encontro agora, querida. Podemos conversar quando as aulas retornarem. - Disse Anna Cecilia, sorrindo simpática. Savannah controlala-se para não matar os dois alí.   - Na verdade, eu quero falar com o Professor Justin, querida. - Ela sorrir. Justin estava imóvel, não sabia nem o que falar, com certeza. - Então professor! - Savannah bateu no ombro de Justin, procurando demonstrar divertimento, mais o soco foi forte. - Eu escrevi a peça que o senhor me mandou e queria saber o que você acha antes de eu escrever um script, e bem, ela fala de um Carinha e de uma moça muito legal, só que muito burra sabe? Ela acredita em qualquer um idiota que a encanta e bem, eles tinham um passado antes dela viajar pra... Acapulco. E quando ela volta, ele seduz ela e ela pensa que isso pode dar namoro mais ele começa a sair com uma vadia escrota e... Ela mata os dois. - Savannah sorri de orelha a orelha, com um olhar ameaçador que só Justin entendeu. - Fim.

 
   - Ahn... Eu posso falar com você amanhã? Eu... - Ele tira dinheiro da carteira. O suficiente para pagar dois jantares, suponho - Eu tenho que ir, Anna Cecilia. - Ele se levanta. - Savannah... Nos vemos.  
Ele saiu andando apresado.
   - O que deu nele? - Perguntou Anna Cecilia.   - Deve esta indo pra casa da namorada dele.  - Sorriu.
 
  - Ele tem namorada? - Ela perguntou assustada. - Oh meu deus.   - Pois é né... - Ela disse e saiu andando.

Savannah POV. 


Com eu fui tão idiota? E pensar que eu estava achando que logo namoraríamos e talvez tivesse um feliz para sempre? E que as promessas fossem compridas. - Limpei uma lágrima que caiu. - Fui idiota! Idiota. Mais o que eu queria deu certo. Eu ameacei ele, xinguei, e disse que ele tinha namorada, para ela ficar bem longe dele, e tudo isso sem a tapada perceber. Voltei para a mesa sorrindo.
   - Querida? - perguntou meu pai.
 
   - Fale pai...
 
   - Justin foi embora?
 
   - Pois é... Deu crise de nervosismo nele. - Disse.
 
   - Porque? - Perguntou minha mãe.
 
   - Não sei... Mais bem... Vou explicar para vocês o que eu sei. Ela é professora da Academia de Artes, o nome dela é Anna Cecilia. Ela é a professora mais "pé no saco" que tem, e ele... Virou professor de teatro...
 
   - Vocês voltaram a se falar querida? - Minha mãe perguntou, ela sabia da "briga" que tive com Justin a anos atrás.
 
   - Sim mãe... Voltamos. - Suspirei. - Perdi a fome... Vamos embora?
 
   - Claro querida. - Disse meu pai.
Ele pagou a conta, e fomos para o hotel. Eles pediram um quarto para eles.

Ao decorrer de uma semana. 
Meu pai finalmente comprou uma casa, mobilhou e é linda. Ele iria embora hoje, comigo. Só que eu iria para a Academia de Artes - Sim, haviam voltado as aulas - e meu pai para o Aeroporto. Minha mãe só iria daqui a quatro dias, pois iria arrumar mais umas coisas por aqui. Estava arrumando meu quarto, e no meio das tralhas, achei meu antigo Skate. Faz tempo que não ando mais nessa coisa.
peguei o Skate, desci as escadas e dei um longo abraço no meu pai que estava na Sala, contando as malas.
   - Tchau pai.
 
   - Tchau princesa. - Ele beijou minha testa. - Eu te amo.
 
   - Também te amo. E em breve, vou pra L.A, visitar você... E a mamãe, já que ela vai voltar pra lá em breve.
 
   - Vou cobrar essa visita. - Ele me abraçou.
 
   - Vou indo agora... Tenho professores "pé no saco" pra aguentar agora.
 
   - Ok querida. - Ele ria. 
Eu sai pela porta e subi em sima do Skate. Dei o primeiro impulso e é, eu não cai. Talvez seja que nem bicicleta. A gente nunca "desaprende". Depois de uma hora, cheguei na Academia de Artes. De carro é só 15 minutos, mais... Fazer o que?
   - Saaaaaaav! - Gritou alguém, olhei para trás e vi Alice. (N/A:Lembram dela do primeiro ou do segundo cap?)
   - Ahn, oi Alice. - Sorri.
 
   - Veio de Skate pra cá?
 
   - Sim. - Sorri. - porque?
 
   - Você não tem mais 15 anos, né, Sav?
 
   - E o que que tem? Tenho 19 anos... Não sou velha. - Disse.   - É verdade.   - Que aula tem hoje? - Perguntei.
   - Ahn... 2 de Literatura, 1 Desenho, 2 Teatro e só. A professora Anna Cecilia se demitiu. - Ela disse, na maior normalidade.
 
   - Que? - Perguntei surpresa, estava feliz, assustada, com receio.. Surpresa e feliz por: Anna Cecilia ter se demitido. Assustada e Receosa: Aula de Justin Drew Bieber, teatro.    - Quer que eu repita amiga? 2 aulas de Literatuda... - A interrompi.
 
   - Não é isso sua besta. - Eu ri. - Mais deixa... Ei... O que é isso na tua mão? - Perguntei para Alice.
 
   - É um Bate-Bate. 

Peguei aquele "Bate-bate" dela, é tipo, um fio com duas bolas coloridas e pesadas. Fazia um barulho irritante, e eu queria atentar hoje. Subi no Skate novamente, e acelerei pelo corredor, "brincando" com aquele treco e  deixando Alice para trás, olhei para trás para me conferir que ela estava vindo e acabei esbarrando em alguém. O "Bate-bate" que estava na minha mão voou na cabeça da pessoa eu só segui com os olhos para ver onde parava.
   - Ei... Você não sabe que é contra regras da escola andar com coisas com bolas aqui dentro? - Disse uma voz conhecida e rouca, se referindo ao Bate-bate. Olhei para frente e era o Justin.
 
   - Ahn... E você tirou as suas para vim dar aula? - Sorri debochada, sem mostrar os dentes.
 
   - Te mandaria para a Detenção por me desrespeitar dentro da escola, mais preciso falar com você. 
Nós falavámos baixo, e quando percebi, fiz questão de aumentar meu tom de voz.
   - Não tenho nada para falar com você, professor. E olhe pra onde anda. Parece que tá com a cabeça na lua. 

Peguei o Bate-bate no chão e subi no Skate novamente, indo para a minha primeira aula. Literatura. Eu gosto de Literatura, não foi dificil passar esses dois horarios de aula. Agora quando chegou o horario de teatro, a musica que tocava pelos corredores da Academia parecia a musica da morte.
   - Vamos Savannah? - Perguntou John, um menino que faz teatro comigo. Eu estava parada na porta da sala.
 
   - Ahn.. Claro. - Entrei, me sentei perto dele, procurei puxar assunto.
 
   - Ei... Parece que hoje vai ter um lance chamado "espelho", e se tiver... Você faz comigo, ok? - Sorri.
 
   - Ah, claro. Seria um prazer. - Ele sorri. - E Savannah.... - Ele pareceu com vergonha. - Vai fazer alguma coisa hoje?
 
   - ...

Eu ia responder que não quando Justin entra na sala já gritando, praticamente.
   - Vamos lá pessoal, chega de falatório e conversa paralela. Hoje a lição de vocês vai ser o "espelho" mais conhecido como Sombra, em algumas áreas do teatro. E eu vou escolher os pares então vamos lá.

Ele ia falando os nomes, e eu fiquei com uma tal de Lolla. Estava na frente dela, fazendo gesto e ela fazia os mesmos, junto comigo, como no espelho.
   - Mais lento, senhorita Cattelíx. - Disse Justin. Ele só estava reclamando comigo. - É pra fazer espelho, então faça Junto com a Senhorita D'vill.
 
   - Eu tô fazendo. - Bufei.    - Não, não esta. - Ele retrucou.
 
   - Cara, tem uns 20 alunos nessa turma, porque você só vê defeito em mim?
 
   - Não vejo defeitos em você. - Ele disse, quase como um sussurro. 

Eu fiquei imóvel e Lolla continuou a se movimentar. 

   - Esta vendo? Deixou de se mover. - Ele falou. - E ainda me desrespeitou.
 
   - Eu desrespeitei? Você tá doido? Eu não disse nada de mais. - Bufei.
 
   - Fez de novo. E vai ficar em detenção na aula de teatro depois das aulas hoje.
 
   - Que? - Perguntei revoltada.
 
   - Hoje e amanhã, então.
 
   - Oque? Você não pode fazer isso!
 
   - Ok, vai ficar três dias de detenção nas aulas de teatro. Quer uma semana? 

Eu tive que respirar fundo e negar com a cabeça. Engolir meu orgulho doi mais que uma facada. Agora teria que ficar de detenção, na aula do meu querido professor Justin.
Continua com 3 comentários (..)

Sintam a ironia do querido, KKKK'. Ouvi Ignorance tipo uma 500 vezes escrevendo esse Cap.  desculpa a demora ): E se tiver erros - é claro que tem - me perdoem. Eu estou correndo, tenho que terminar um trabalho ainda. Eu só tenho que CRIAR CORAGEM. Mais pensem: O que será que vai acontecer nessa detenção? Os dois estão um tentando humilhar mais o outro, quem vai ganhar essa guerrinha e quando eles vão se reconciliar de verdade? Anna Cecilia é uma oferecida ¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬'. Ela vai aparecer mais. Beijus pra vocês, @Beez_Souza. 

5 comentários:

  1. Adooooorei, palmas para voce, capitulo meio BIG ;D

    ResponderExcluir
  2. Esta perfeito, acho que na detenção eles vão se reconciliar. Continua

    ResponderExcluir
  3. haha leitora nova e tipo o modo que você escreve e como se expressa através dessas perfeitas linhas é algo quase inacreditável. Eu também escrevo IB's e daria tudo para ao menos conseguir chegar aos seus pés, a cada detalhe de cada verso eu me impressiono e fico cada vez mais apaixonada por suas palavras e sua história. Por favor não pare ! Seria uma grande decepção para mim que já estou completamente envolvida na história, e dando minha opinião: Só acho que a Savannah deva escultar a versão de Justin antes de fazer tanto drama, se não, vai acabar cometendo o erro que á fez sofrer, pelo o que eu entendi certo ?
    Bem... é só isso, continua por favor. E parabéns essa é uma das - se não a maior- melhores fanfic que já li.

    ResponderExcluir
  4. Peerfeito princesa, adorei suas ib's, vooç ainda postaa??

    ResponderExcluir